Search
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Search in comments
Filter by Custom Post Type

Membrana de Troca Iônica Fluorada

FLEMION® é uma membrana de troca iônica fluorada usada para produzir soda cáustica /potassa cáustica em plantas de eletrólise. As membranas FLEMION alcançam economias substanciais de energia porque requerem menos corrente elétrica para decompor a salmoura purificada. Além de economizar energia, as membranas FLEMION minimizam a influência das impurezas da salmoura e permitem que os fabricantes mantenham 97-98% de eficiência de corrente elétrica.

Usada em fábricas de eletrólise de sal em mais de 50 países ao redor do mundo

FLEMION é usada nos eletrolisadores nas plantas de eletrólise que decompõem a salmoura. Desempenha um papel fundamental na fabricação de soda cáustica (hidróxido de sódio)/potassa cáustica (hidróxido de potássio), cloro e produtos químicos básicos de hidrogênio. Esses produtos químicos são ingredientes-chave de muitos produtos utilizados em nosso cotidiano.

Por mais de 40 anos, a AGC vem trabalhando para reduzir a resistência elétrica das membranas de troca iônica fluoradas. Nosso principal produto, o F-8080, é uma membrana de troca catiônica fluorada que é preferida por muitos clientes por oferecer resistência extremamente baixa.

  • Economia de energia com baixa resistência elétrica
    As membranas de troca iônica fluorada FLEMION exigem baixa voltagem em alta corrente contínua para decompor salmoura em um eletrolisador. O cloro é gerado no ânodo, enquanto o hidróxido de sódio (também chamado de soda cáustica) e o hidrogênio são gerados no cátodo. A oxidação no ânodo ocorre simultaneamente com a redução no cátodo, que faz o fluxo de corrente. A quantidade de energia consumida é um produto da voltagem e a corrente aplicada ao baixo consumo de energia resulta da baixa resistência da membrana.
  • Alta eficiência da corrente
    A eficiência da corrente elétrica é a razão entre a massa real de uma substância liberada de um eletrólito pela passagem da corrente para a massa teórica liberada de acordo com a lei de Faraday. Geralmente é expressa como uma porcentagem. Uma pequena parte dos íons de hidróxido (OH-) gerados no cátodo (lado negativo) do eletrolisador passa através da membrana de troca catiônica para o lado do ânodo e não pode ser coletada como produto. Reduzir esta parte, o tanto quanto possível, aumenta a eficiência da corrente. Nossa membrana de troca catiônica fluorada para eletrólise de sal dispõe de uma camada de polímero carboxílico que proporciona alta eficiência de corrente elétrica. Este polímero carboxílico fluorado foi desenvolvido pelo AGC para industrializar o processo de membrana da eletrólise de sal. Agora é possível manter a eficiência da corrente elétrica de 97% a 98% continuamente.
  • Desempenho estável devido à menor influência de impureza
    A salmoura usada para eletrólise inclui impurezas como Ca e Mg que podem afetar negativamente o desempenho da membrana. Por exemplo, o Ca reduz a eficiência da corrente enquanto o Mg aumenta a voltagem. As membranas de troca iônica fluorada FLEMION minimizam a influência dessas impurezas, permitindo que elas atuem e permaneçam estáveis ​​por mais tempo.